terça-feira, 25 de maio de 2010

Pain

Eu senti a dor invadindo meu corpo
Senti o calor cobrindo minha pele
E, no entanto, ela se tornou gélida
As poucas forças que eu tinha perderam-se:
Já não conseguia mais me levantar
Os braços e as pernas não respondiam tão bem
Para que eu pudesse chamar algo de movimento
E assim, paralisada, de medo, de desespero,
Esperei que a dor escorresse e me abandonasse
Não havia nada mais que eu pudesse fazer
Não fui capaz de controlar a mim mesma
Quando algo me atingiu de modo tão sucinto
Ainda que durante todo tempo tivesse pensado
Que ia terminar em alguma hora,
Era questão de esperar.
Então o suor secou junto com o sangue
E eu consegui me arrastar para a cama
Onde adormeci.

5 comentários:

Amanda disse...

Ficou tão...


Mórbido.

Às vezes existem ferimentos que não podem ser curados com remédios ou médicos, a gente precisa apenas do repouso.
Relaxar a mente e a alma. Quem sabe no outro dia a gente consiga ver o sol brilhar mais forte.

Saori disse...

Quando li, a primeira coisa que pensei foi na MORTE. Parece que vc está descrevendo-a!! Como a Amanda comentou, bem mórbido!!

Saori disse...

Resposta do POST 'Homem De Ferro 2':
Não ficou até os créditos finais?! O_O Se tivesse lido meu post antes, vc teria ficado até os créditos finais e descobriria qual é o próximo super-herói. Mas, nada que uma rápida pesquisada na net não resolva *é o Thor *cof**. É verdade, o destaque em ‘Homem De Ferro 2’ é o Ivan Vanko. O cara é muito massa e super inteligente. Show!! Agora que vc comentou sobre a luta do Tony Stark contra James Rhodes, realmente foi mais longa que a luta final. Como diretor não viu isso? [2]

Resposta do POST 'A Estrada':
Não sei de qual filme/livro vc está se referindo!! Em ‘A Estrada’ não há luta alguma e o filme consegue captar a “alma” da obra de Cormac McCarthy, pelas review que andei lendo na net. Ainda vou ler o livro para descobrir se é verdade ^^.

Afonso Cruz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Afonso Cruz disse...

Enfim, a dor está ai pra isso, pra acordar àqueles que se recusam ver as coisas que são impossíveis e, a partir dai, elas mesmas se movimentarem de acordo com a situação...

Postar um comentário