quarta-feira, 8 de maio de 2013

Insetos e Lamparinas


É comum do ser a atração pela luz. Aquele brilho que fascina puxando a saturação para si só enquanto suaviza e desbota o restante da cena. Só que o calor da fogueira que aconchega é exatamente o mesmo da brasa que queima. Não adianta pedir para não colocar o dedo na tomada, a criança será compelida machucar-se tentando se aproximar do curioso objeto de afeição. Toda luz não apenas acende, mas hipnotiza; te seduz fazendo-se de sua beleza.
Talvez a religião funcione porque a criatura não chega até o criador para se deparar com o vazio. Caso contrário, seria como o amor que se vai junto com o platonismo quando o admirador alcança sua musa dourada em um pedestal perfeitamente polido.
A dor é um sentimento imensurável. Por mais que você saiba como, não saberá quanto e, por mais que você saiba quando, o conhecimento nunca irá amenizá-la. Dessa forma, eu entendo como os insetos morrem queimados na eletricidade idolatrada. Eles tentam perseguir um sonho que nem ao menos conseguem evitar ter, tamanho é o brilho da luz. Talvez eles saibam da morte e escolham, mesmo assim, chegar mais perto e sentir o calor. Valeria mais a vida longa no escuro de uma noite fria? Ou, que seja rápida sua passagem pelo mundo, mas que possam explodir de paixão indescritível, encontrando o que sempre quiseram?
As feridas são inevitáveis. Mas a falta de sentido é imperdoável. Não arriscar seu sangue naquilo que você espera de sua vida é o mesmo que nascer e morrer em vão; aprender o básico e, conformado com isso, sentar-se no asilo, esperando que a aparição em vestes negras te leve para o desconhecido. Só você pode escolher entre ter a pele talhada ou evitar as marcas que te lembram de quem você é. Mas eu tenho certeza que antes de cair desgovernadamente no chão, as asas daqueles que perseguiram a luz brilharam ao tocá-la. 

10 comentários:

Gabriel Santos Passos disse...

A Luz atrai o ser, mas queima-o na intenção de, por um processo alquímico, torna-lo tão puro quanto a própria Luz para só assim eles serem um.

Kamus. disse...

Um dos meus preferidos desde agora. :)

Roberta Albano disse...

Que lindo o que Gabriel disse. :)

E "Kamus", obrigada por isso!

Ricardo Carvalho disse...

Muito você esse texto. Ficou lindo. :)

Luciano Junior disse...

Parei... pensei... refleti... e... nao sei o que dizer..

Roberta Albano disse...

>Ricardo: AHHH >.< Que bom que gostou

>Luciano: hehehe obrigada por ter tentado!

Anônimo disse...

como evitar de sonhar se são eles que nos dão força para continuar a viver....
Belo texto.

Roberta Albano disse...

> Anônimo: Obrigada :)

Jasonneko disse...

Juro que procurei um botão de curtir, :P mas como não tem vai o comment mesmo, PERFEITO!

Roberta Albano disse...

> Jasonneko: aewww! Obrigada pela participação, fessor!

Postar um comentário