quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Eu costumava ser tudo, costumava ser única e especial. Em que ponto me tornei esse lixo que você deseja pisar em cima? Ouvi suas palavras e não acreditada. Em que parte me tornei uma pessoa que não merece devida importância e respeito?
Quando você teve dúvidas, me postei ao seu lado. Quando não achava amor, dividi o meu com você. Quando toda luta parecia sem sentido, te mostrei o motivo de estarmos aqui hoje.
Você me disse que estava destruído e me ofereci para te refazer. Você disse que sentia ódio e queria estar sozinho. E te disse que querer ficar sozinho era o que te trazia o sentimento ruim.
Te conquistei, fiz seus olhos brilharem uma vez mais. E você... você pisou em mim e me chamou de inferno, quando tentei ajudar. Disse para eu te deixar em paz quando quis segurar sua mão.
Me tratou como se eu não significasse nada e nunca tivesse.
Amor é uma coisa que nos deixa tão vulneráveis...
E é engraçado como amor sem controle se torna ódio tão facilmente.
Até minha amizade foi recusada como falsidade.
Eu não fiz nada de errado, nada de mal, não trouxe problema algum e fui tratada como a pior pessoa do mundo.
Te disse que por você eu morreria tentando e que isso valeria a pena. Você... riu de mim. Disse que nada importada.
Disse que queria ser feliz sem mim, como se eu não fosse capaz de trazer nenhuma felicidade. Meu amor, se não pude te deixar feliz. Me desculpe. Se não pude fazer você sentir o mesmo que eu sinto, me perdoa. Sinto muito por mim, pelo trabalho que tive tentando, pela dor que hoje eu sinto, por amar uma pessoa que não me quis e me maltratou. Enquanto eu estava lá só para ajudar, só para afastar as confusões.
É decepcionante se dedicar a alguma coisa quando ela não dá certo... Eu nunca gostei de perder meu tempo. Mas sabe, valeu a pena ter sentido tudo que senti. Porque hoje sofro, mas n/ao estou quebrada. Sou eu, a mesma boba apaixonada de sempre, sofrendo por mais uma pessoa que não sabe o que sente por mim...

1 comentários:

Gabriel disse...

Bem aventurado é aquele que se levanta após uma queda e continua caminhando, sempre!

Se você amou alguém que não te amou, você viveu o amor que tinha. Perde muito quem não viveu.

Postar um comentário